top of page

AES Tietê tem lucro 175% maior no 3T19

Atualizado: 8 de nov. de 2019

A geradora e distribuidora de energia AES Tietê divulgou nesta terça-feira (05) seu resultado referente ao terceiro trimestre de 2019. Seguem os destaques:

1) Lucro Líquido: R$ 97,1 M (+175% vs 3T18)

2) EBITDA: R$ 254,2 M (+22% vs 3T18)

3) Margem EBITDA: 48,4% (vs 36,9% 3T18)

4) Custos e despesas operacionais: R$ 270,8 M (-24% vs 3T18)


Tais resultados foram atribuídos pela empresa aos seguintes fatores:

  • Incremento de R$ 45,4 milhões pelo efeito positivo da estratégia comercial de compra antecipada de energia adotada para a operação hídrica e da contribuição do resultado do Complexo Solar Guaimbê e Ouroeste;

  • Melhora do resultado financeiro em R$ 22,9 milhões pela queda da taxa de juros e inflação;

 

Investimentos


A Companhia prevê investir aproximadamente R$ 662,1 milhões entre 2019 até 2023, com o objetivo de modernizar seus ativos e expandir seu portfolio, principalmente para finalizar a construção de seus parques solares. É possível perceber, após 2019, uma redução do CAPEX planejado pela AES Tietê, uma vez que o fluxo financeiro mais expressivo em projetos solares foi iniciado em 2018 e a obra de seu segundo complexo solar acaba neste ano.

Em conferência realizada com investidores no dia seguinte à divulgação dos resultados, a diretoria da empresa afirmou que seus esforços de investimentos estão concentrados em obter ainda mais fontes complementares aos ativos hídricos que hoje a AES possui. Uma das formas apresentadas pelos diretores para alcançar esse objetivo, está em fusões e aquisições de projetos eólicos no nordeste que forneçam sinergias operacionais.


Dentro da estratégia de expansão, há uma opção de compra do projeto Tucanos, localizado no estado da Bahia. O ativo encontra-se em estágio avançado e com 600 MW prontos para construção.

 

Dívida


A dívida líquida da empresa segue em patamar estável neste terceiro trimestre, em R$ 2,98 bilhões (2,9x o EBITDA Ajustado).


 

Dividendos


Mantendo seu histórico de boa pagadora de dividendos, a empresa de energia aprovou a distribuição de R$ 106,4 milhões como dividendos intermediários relativos ao 3T19, sendo R$ 0,05333477657 por ação ordinária e preferencial e R$ 0,26667388285 por unit.


As ações #TIET11, #TIET4 e #TIET3 serão negociadas ex-dividendos a partir de 11 de novembro de 2019 e o pagamento será realizado no dia 22 do mesmo mês.

 

Nossa perspectiva


A AES Tietê demonstrou bom desempenho e se provou capaz de trazer resultados independentes de suas fontes hídricas, uma vez que as energias eólica e solar adicionaram valores representativos à margem líquida do trimestre, R$ 12,1 milhões e R$ 18,3 milhões respectivamente.

Outro ponto que nos traz bastante tranquilidade pelos últimos resultados, é a manutenção das despesas operacionais (R$ 82,1 M), que seguem bastante estáveis há 8 trimestres, mesmo com o impacto da inflação e adição de novas capacidades ao portfólio. Isso mostra que a AES Tietê está crescendo de forma sustentável, sem expandir de forma descontrolada seus custos.


Conforme descrito no parágrafo sobre CAPEX, o foco em projetos com TIR elevado mostra que a empresa está preocupada em trazer bons retornos a seus acionistas, assim como foi o investimento no projeto do Ouroeste (que trouxe retornos na casa de dois dígitos segundo a empresa)


Uma carteira robusta de contratos com elevado nível de contratação (hoje acima de 70% até 2023), aliada à construção de parcerias de longo prazo que forneça soluções personalizadas aos clientes, são fatores apresentados pela diretoria que devem trazer bastante previsibilidade nos próximos trimestres.


Aproveitando o cenário atual com juros menores, a cia conseguiu aproveitar para reduzir o custo da dívida e alongar o prazo de pagamento das parcelas, o que também contribui para a saúde financeira da AES.

Ainda sobre a dívida, o fato de não haver nenhuma amortização relevante nos próximos anos (conforme exibido no gráfico abaixo), traz um oxigênio adicional para o fluxo de caixa da empresa no médio prazo.

O Complexo Ouroeste, segundo ativo de energia solar da AES Tietê, e que já fez para o bom resultado neste trimestre, deve estar operando 100% de sua capacidade até o final de 2019. O potencial de contribuição individual desse ativo é estimado pela empresa entre 70 e 80 milhões de reais ao ano.

 

Seja o primeiro a receber novas publicações!

 

Disclaimer: Todos os valores e justificativas apresentadas nessa publicação são baseadas em informações divulgadas publicamente pela empresa em seu site de relações com investidores. Sendo uma publicação de caráter informativo, este conteúdo não configura recomendação de compra ou venda para as ações mencionadas. Reiteramos nossa orientação de que o investidor amplie seu conhecimento antes de tomar uma decisão a respeito de qualquer ativo.


Comments


bottom of page